sexta-feira, 7 de junho de 2013

Conto, realidade.

E de repente elas se esbarraram, já que uma estava tão apressada e a outra tão desatenta.


- Psiu. Hey, Menina. Deixou cair algo do teu bolso. Hey, espera aí...


Sem obter resposta apressou-se em abaixar e pegar o que estava ao chão, na esperança de correr, alcançar e entregar o que de fato pertencera a moça. Quando pegou o que havia caído, sentiu um aperto gigante no peito e era como se teu coração estive sendo esmigalhado, seus olhos se encheram de lágrimas nesse mesmo instante deixando-a estática por alguns segundos.. Ela olhou novamente, e certificou-se de que, aquela era a dor que a moça carregava consigo.
Levantou a cabeça, olhou a tua volta, mas a moça já não estava ao alcance dos teus olhos. Quando se deu conta do que ainda segurava imediatamente soltou e se afastou, deu apenas um pontapé sutil para que rolasse até a sarjeta, e então fosse embora junto com aquela pequena corrente dágua que desaguara no bueiro.

- Siga em paz, menina, agora com o teu bolso-coração mais leve.


Nenhum comentário: