quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Lo que no es AMOR

Esse não é um post de amor, e sim do que precisamente não é, já que em tempo algum exprimi de forma clara idéias sobre o que não é amor...

Estar com alguém para não ter a sensação da solidão, por ter apenas companhia mesmo que para ‘jogar’ conversa fora numa tarde fastio qualquer, ter disposição de alma mas sem nenhum desejo carnal, sem satisfação sexual, com certa repulsão quando o outrem lhe toca, isso não é amor, mesmo proporcionando momentos felizes, sorrisos, júbilo, isso não é amor amante, isso é amor amigo É AMIZADE, e você é carente, incontestável fato. Mesmo quando temos o desplante de sentir aquele quase invisível, impalpável ciúmes, aquela insegurança de passagem, acredite não é amor, e sim falta... Conservar alguém ao –teu- lado por capricho (como já disse em post’s anteriores) convencido que o sentimento e o desejo do outrem não é recíproco ao teu, é falta de amor, principalmente quando vê todos os que estão a sua volta e fora desse relacionamento/mundo sem portas como adversários, ISSO NÃO É AMOR, É FALTA DELE.. DE AMOR PROPRIO, ninguém é dono de ninguém -senão de si mesmo-, tratar quem se ‘ama’ como objeto não é amor, com desdém também não, prender o ‘ser amado’, mandar e desmandar, sentir-se dono, proprietário de uma vida definitivamente NÃO É AMOR, NÃO É. Entendam que, quando amamos e assumimos um relacionamento não deixamos de ser individuais, cada um opta pelas escolhas que lhe convém, cada um trilha o caminho que lhe parece favorável e esmerado, que lhes diz respeito é isento de erros, fazer escolhas por outra pessoa para se auto-beneficiar e serenar sua carência, não é amor principalmente quando toca o sentimento sem intenção alguma de retribuir o mesmo, isso é puro egoísmo.
Quando está sozinho sente-se vazio? Com imensa melancolia projetada no peito? Se você VIVE por aquilo que já acabou -se é que um dia começou-, se você vive pelos cantos se lamentando se auto-flagelando, em martírio se fazendo de vitima, de coitado, permitindo e abrindo portas para doenças por não se alimentar corretamente, por não dormir o suficiente para o repouso do corpo, por se ‘suicidar’ mesmo que inconscientemente, guarde bem o que digo -e desde já desculpe-me pela franqueza caso sinta-se ofendido-, VOCÊ É UM ESTÚPIDO E LHE FALTA INTELIGÊNCIA, ISSO NÃO É AMOR.. é sujeição, é doença. Em relacionamentos existem brigas, discussões, mas viver em torno disso também não é normal, brigar por tolice, sentir ciúme incontrolável, ter como base discussões, guerras, pelejas, caras feias, ofensas, contrariedade, planos indistintos, sonhos individuais, limitações, proibições, asco... Porém desejo sexual, não é amor, perceba os sinais. Isso tudo é verme, é paixão, é somente desejo carnal, como dizem hoje, quando duas pessoas saem somente para uma transa, isso é ‘um encontro casual’ entre dois CORPOS.


Apesar de amar incondicionalmente, sou leiga para falar sobre o amor, afinal até hoje não descobri exatamente o que é e como é apenas SINTO. Suponho com certa margem de convicção apenas o que não é, por ter sentido/vivido um dia tudo o que acima mencionei, HOJE minhas sensações são maravilhosas, sublimes, divinas e sabendo o que não é de fato é fácil distinguir o que está concebendo a alma, do que se trata o relacionamento que mantém com o (a) companheiro (a), se estiver ruim, termina, ou se ambos aceitarem entrar num senso que beneficie o casal seja permanecendo juntos ou a procura de outrem que tenha os mesmos princípios que os ‘teus’ vão fundo, quem sabe desse possível término não descubram em outrem equilíbrio, paz, sintonia, amor verdadeiro.
A vida é mutável e isso é evidente, pessoas de todas as tribos e crenças passam, chegam e partem na mesma freqüência desde as de boa índole até as de má, porém os mais freqüentes, aliás, o que recordamos veemente e facilmente são as amizades e as paixões sejam elas paixão amiga, amigo apaixonado, paixão com tendência a amante,... Seja qual for a combinação nenhuma é considerada amor caso não desperte sentimentos agradáveis, prazerosos com toque de divindade, companheirismo, vontade do bem maior pro outrem, proteção, amizade, disposição de alma, compreensão, sintonia, ternura, cumplicidade, calmaria, mimo, afago, aprovação, respeito, equilíbrio, desejo, contentamento..., enfim, caso não encontre alguém que desperte em você tudo o que mencionei, ou o que de melhor deseja SER, SENTIR E PROPORCIONAR na mesma intensidade ou além, esteja certo de que não é amor.



"Aquele plano infalível falhou, não deram o melhor de si e acabaram se curvando... erros. Mero engano." 


quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Cópia barata de um grande pensador W, Shakespeare


Descobri e aprendi...


Que não posso me perdoar verdadeiramente, posso me desculpar por ser tão errônea;
Que um abraço é melhor que uma carta quilométrica;
Que a minha felicidade escondia-se na alma, quando a encontrei nasci novamente;
Que quando uma criança segura meu dedo com sua pequena mão,  sinto a divindade de um anjo; 
Que nunca devo dizer a uma criança que seus sonhos são improváveis  ou impossíveis de acontecer;
Que devo aceitar tudo o que uma criança oferece mesmo que não tenha utilidade alguma;
Que setas indicam o caminho, mas a vida não é um desfile em tapete vermelho;
Que pré-conceito aprende-se; não nasce conosco;
Que dizer 'não' é uma escolha, aceitar o 'não' pode não ser;
A contar comigo mesma em todas as situações da minha vida;
Que amigos são insubstituíveis;
Que não existe UM GRANDE AMIGO, existem vários, cada qual em seu tempo;
Que a verdadeira amizade continua a crescer mesmo quando  longe um do outro;
Que o mesmo acontece com o amor;
Que a maior perda da vida é perder um amigo, sendo que, ambos estão vivos;
Que ser gentil é essencial;
Que o amor é demonstrado em diversas formas;
Que se uma pessoa me disser "ganhei meu dia contigo", terei ganhado o meu com ela;
Que adultos também precisam de colo;
Que crianças também precisam de chão;
Que o dinheiro compra matéria, não sentimentos;
Que acumular fortuna numa conta bancaria é tolice, já que no final gastarei com tudo o que posso fazer AGORA;
Que as coisas menos notáveis são as que mais me contentam e me encantam;
Que ignorar muda sim os fatos, piora-os;
Que o arco-íris só colore o céu depois da tempestade, o mesmo ocorre com a vida;
Que planejar o mal é desejar o próprio mal;
Que AMAR é...
Que o melhor caminho  que encontrei para a felicidade foi permitir-me primeiramente, e ter pessoas com quem pudesse/posso compartilhar;
Que toda pessoa (que conheço e desconheço) é digna do meu sorriso e da minha bondade;
Que a alegria aponta em diversos lugares; 
Que podemos meditar a qualquer momento, lugar e ocasião;
Que olhar no relógio é atrasar a vida;
Que damos valor a entes somente quando os perdemos;
A amar incondicionalmente minha família, mesmo mantendo determinada distancia de laços familiares;
Que tenho o direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel com outrem;
Que devo inclusive engolir as palavras duras e cruéis;
Que as lagrimas que derramam por mim, dói em mim;
Que o sorriso faz parte da minha existência;
E o erro também;
Que sabedoria se adquire;
Que tempo não se desperdiça;
Que 'sonhos' tem uma linguagem própria;
Que 'sonhos' não são impossíveis;
Que viver é melhor que sonhar;
Que o mundo não é um bom lugar para pessoas ingênuas;
Que vigiar minhas atitudes não me satisfaz, porém me faz melhor;
Que a paixões passam como tudo na vida por isso é bom ter alguma coisa no bolso  para substituí-la;
Que usar filtro solar realmente é necessário;
Que drogas são destrutivas;
Animais me trazem sentimentos maravilhosos, contentamento;
Que o amor não é feito de momentos felizes somente, nem em contos de fadas isso ocorre;
Que amar é nos doar;
Que a natureza é minha calmaria;
Que meus olhos dizem mais que minhas palavras. E me entregam;
Que minhas atitudes comprovam e provam o que digo.

O amor passa por nós algumas vezes, nos vigia, mas só no momento certo nos ocorre, não é mesmo Paula? 

Aprendi finalmente (mas não o suficiente) que sou nova , somos novos e seremos enquanto quisermos, eu particularmente tenho muito que viver para então usar tal vivencia e aprendizado como ensinamento. De uma coisa tenho convicção, não devemos limitar nossos conhecimentos, nossos sentimentos, nossos ‘eu’s’, amar é viver e VIVER É AMAR.. De nada adianta ser instruído a vida se não ralarmos os joelhos no caminho.

Temos dois pés e temos ciência disso, alguém pode então me explicar donde vêm essa ânsia de querer dar dois passos com o mesmo pé?




quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Nome x Codinome


Uma alma, duas personalidades e um corpo, um corpo sendo disputado, guerreado.  Guerra esta onde quem vence não é o mais forte e sim o mais sábio. Nome: Natallia. Codinome: Naahs. Duas personalidades tão parecidas e tão distintas ao mesmo tempo. Uma mesmo que imprudente usa sua sabedoria pro bem, é calma, amiga, amável e guerreira, a outra é inconseqüente, é forte e por isso ainda vive, em um abismo se joga sem medo e degradadamente cai sorrindo, ela sente prazer.
A sabia conhece todas as suas fraquezas e a fraqueza alheia, e luta por amor e compaixão. Enquanto a forte conhece cada ponto positivo de sua adversária e a desafia com combates todos os dias, colocando em jogo tudo o que com  amor e sabedoria foi construído. Não pense que é bobagem da minha parte, não pense que é fácil lutar contra si mesmo, é uma guerra quase que inacabável porém haverá vitória, uma peleja sem fim com um final, creio e desejo que seja feliz mesmo após a guerra, afinal é pró ao amor. Em guerra há perdas, mas nessa circunstância só haverá caso o lado forte ganhe, porém vitória triunfante será apenas sendo ela da sábia. Tantas qualidades jogadas a fogo, tantos defeitos colocados sobre a mesa ao alcance de todos, tão inconseqüente, quase que sem coração ela se mostra... Até parece haver duas almas no mesmo corpo, mas não, isso é parte da utopia que a ‘codinome’ criou para confundir e enfraquecer sua adversária, sendo a sábia levada para  esse mundo utópico e vivenciando o mundo que desconhece o plano A da codinome seria infalível e haveria facilidades em lutar, porém a sabia não é chamada assim por acaso, faz jus ao seu nome e se mostra forte por saber que aquilo não é real, luta e vive  nesse outro lado utópico, passa pelo que tiver que passar, guerreira ela não é tão fraca quanto parece, enquanto a outra não sobreviveria um minuto no mundo maravilhoso em que a sábia vivencia momentos indescritíveis. Tão adversárias e tão aliadas ao mesmo tempo, é quase incontestável o fato de que uma precisa da outra para aprender. Há estranhamento nessas linhas e reconheço, principalmente  por falar de ‘mim’ para ‘mim’ numa terceira pessoa. 
Nome vive amor, isso é o suficiente para torná-la tão feliz principalmente hoje a duas com sua amante.
Codinome fugaz, inconseqüente e bebidas é nisso que ela se resume... Sobrevive e por vezes se mostra infeliz em meio a todos os sorrisos falsos jogados diante dos seus olhos, ela vive pelo que dá FALSA alegria. 
Ao final dessas linhas tenho minha conclusão sendo ela de fora, Natallia está agora mais forte do que imaginei, enquanto Naahs acredita ainda vencer mesmo após 02(dois) longos dias em reflexão, somente dois, uma sabe como vencer e já pôs em pratica seu desígnio, e fez mais que isso criou pactos com pessoas que ama (porque assim foi necessário) para não somente se salvar, para não somente viver, para não somente SER feliz mas sim, ajudá-las, ensiná-las mesmo que falhando ao viver, e vê-las como parte que contribui para a integridade de um todo, FELIZES.  Não pense que tenho feito isso somente por mim, não sou egoísta, tenho feito por amor esse que domina toda a minha alma mesmo em guerra. O amor dá, não pede nem toma.
Tenho feito por amor a mim, a nós, por amor ao próprio amor, afinal ele sempre vence, e sempre LIBERTA.