terça-feira, 15 de outubro de 2013

Colo-rir!

Como se fosse uma insólita arte de Romero,
abstrata, sempar, matizada e bela.
Tanto quanto..
Ela!
Este é um quadro que caberá ao mundo contemplar
mas como toda obra uno vem imersa
esta é repleta de amar...
E se faz elo entre eu e ela.

Concebida por fim
caio meu olhar vidrado sobre a dona de mim
sutilmente sorrio
enquanto minha mão instintivamente desliza sobre o corpo
que se faz tela
causando-lhe leve arrepio.
Ela sorri e me enamora.
E eu fotografo o sorriso que reflete..
Enfim
eclode-se a obra prima mais bela que já vi.

A cada delineada que as mãos traçam
agrega-se as cores mais vivas e sutis que poderiam existir...
Nesse ponto
eu já não sou eu, sou nós.
E esse quadro passa a ser um retrato
com dois nomes assinados.
Me vejo no brilho dos olhos dela
o que no fundo faz-me conhecer a fundo
os recantos de mim.

Eu que por trás dos meus, por tanto tempo me refugiei
 frente a ti sou nua, crua, sou  toda tua.
Trazer-te-ei para perto do meu, o corpo teu
que se encaixa tão perfeitamente
quente e abrasador.
Somos assim
a início do quadro que em comunhão nos propusemos a criar
Somos enfim
parte do amor
que não requer ser findado.