sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Talvez o titulo não faça sentido.

Talvez a imagem não combine com o texto, nem com o titulo, mas nem por isso vai deixar de sorrir e fingir que tudo se encaixou. Vai?!

Certa vez me disseram  que todos os caminhos são longos, que todas as escolhas são incertas, que todos somos errôneos, mal aventurada seria eu se tivesse sido crente em tudo o que já me disseram.
A verdade é que todos os caminhos são incertos sejam eles aparentemente bons ou ruins, é impossível prever efeito quando a sina é imprevisível, pode ser que hoje o tempo esteja limpo e amanhã, será que continuará? Hoje você consegue andar descalço pois o chão esta frio, mas e amanha quando o sol tiver ardendo a pele? Hoje você está no sétimo céu, será que amanha estará no inferno?
Talvez...
Eu devesse pensar menos,  voltar a andar de skate ou ate mesmo lutar.
Poderia arriscar na loteria e aprender falar um outro idioma, que tal?
Deveria rever conceitos e renová-los, ou não,  ainda acho que deveria cogitar menos ou  ter breves pensamentos, descrer menos, afrontar menos o desconhecido.
Talvez, talvez.
Para quem brincava tanto com a vida desafiando a morte hoje um simples "talvez" faz uma notável diferença a ponto de abater a caixa.
Já tentei mudar os moveis de lugar, calçar um estilo novo de sapato,  mas isso não causou efeito.
Deveria me aplicar mais na escrita, já que eu mesma sempre afirmei que essa era a minha melhor terapia.
 Por que diabos eu parei mesmo de escrever?
Talvez eu devesse  não dar ouvidos para o que minha mãe fala quando diz que eu durmo pouco tempo,afinal se passo mais tempo acordada significa que “vivo” mais, mas talvez eu devesse aproveitar o tempo em claro de outra forma.
Não estou aqui para falar de você, para abrir caminhos, para cogitar uma ação diante de tal situação, tão menos do certo ou do errado, estas linhas sou eu ou parte de mim que precisa  sair para fora da caixa que esta  ficando... Simples assim.
Ontem ouvi que depois de tantos erros que o homem comete a melhor maneira de sentir-se bem é estar ao lado de uma criança, uma vez que qualquer e toda criança é angelical e ingênua. Ou não, que seja.
Talvez devesse passar mais tempo com os meus sobrinhos  já que eles deixarão um dia de ser tão pequenininhos sem que eu perceba.
Talvez eu devesse acordar sem o despertador e acompanhar o ritmo do dia, deitar mais no chão, brincar mais com as nuvens, correr mais descalça, deitar como uma menina no sofá de cabeça para baixo, dançar, cantar, gritar, fazer com que por um minuto todos duvidem da minha sanidade  e morrer de rir da cara deles.
Talvez... tentar e errar sem medo de me arrepender, insistir, persistir, acertar  e ver quão importante é não desistir.
Me concentrar mais, perder menos a cabeça, ser mais paciente, e o principal não esquecer nomes nem confundir pessoas. NÃO ESQUECER NEM CONFUNDIR.
Não esquecer principalmente o aniversario da minha amada irmã, afinal pedir desculpa com um presente em mãos e desejar  parabéns depois de mais de uma semana é absurdamente constrangedor e quase que inaceitável, principalmente quando ela diz “tudo bem e obrigada” com um sorrisinho querendo dizer #$%  quero te matar.
Conquistar.
Talvez eu devesse exercitar mais minha memória do que o corpo.
Mas eu exercito o corpo?! Desculpe-me é que me falta tal lembrança.
Talvez,
Talvez  eu devesse pensar menos ,
e encontrar-me com os meus “Eu’s” que ainda desconheço

Talvez o significado nem consiste em duvida, e sim na certeza do sim ou do não.