quarta-feira, 21 de março de 2012

Dias e Glórias

Hoje acordei com uma paz que eu poderia afirmar não ser minha, porém sou eu quem sinto então a tenho como posse.
O dia está belo, o céu sorri e todas aquelas coisinhas lindas e aquela paz que eu tanto clamei aos céus me veio como se fosse um mimo. 

"Os dias não tem sido tão bons para mim nos últimos dias e devo meu cordial pedido de desculpas se em algum ponto do tempo fui falha, tenho percorrido por caminhos repletos de batalhas, tiros pro alto, cacos no solo e espinhos por toda parte, felizmente –ou não-  isso não é revelado em minha forma física, tudo ocorre dentro de mim (ainda que seja por motivos externos)  infelizmente em algumas dessas batalhas tive que velar-me, contudo,  em outras batalhas meu peito me serviu de escudo,  minha carne e pele me serviram como armadura e me deram forças para novos dias, mas não se engane com a vestidura nem  com esta caixa que habita minha alma, pois, embaixo dela há... Nem tudo é um mar límpido de aguas claras, nadei em aguas repugnantes e quase me afoguei em rios de sangue, mas atravessei ousadamente mesmo com temores  e ao tocar meus pés no chão e enxugar meu  rosto pude ver um gramado lindo que parecia ser infinito, belo e digno de uma minuciosa apreciação, apenas uma linha separava  o azul do céu do verde da Terra."


Foram lagrimas e sorrisos,  por essa razão devo elevar  minhas mãos e agradecer. 
Agradecer a cada um de vocês que ouviram minhas aflições e que emanaram tanta energia positiva para que eu pudesse me recompor, a todos que  trocaram minhas lagrimas por sorrisos, que mantiveram paciência, agradecer à vocês, pessoas, que entraram em meu caminho e trouxeram um pouco mais de esperança, seja na amizade, no futuro ou na retidão do Homem. Agradeço ainda ao meu Amor, por me cuidar, me auxiliar, por estar ao meu lado e segurar tanta barra, e muito mais por me carregar no colo em determinados momentos, obrigada por conhecer cada fraqueza  de minha alma  e por ajudar-me a conhece-las e supera-las.


Meus caros, o fardo  que carrego me torna falha as vezes, por isso não cobrem tanto de mim, peço-lhes humildemente. 
Por mais ”diferente”  e forte que eu pareça ser ainda permaneço humana, tenho medos e sinto dores,  me estresso e me irrito como outra pessoa qualquer, sou errante, não sou feita de rocha, e..

Ainda que eu não demonstre de forma tão clara, eu sinto.

Ainda que eu pareça não me importar, eu me importo.
Ainda que eu me embarace ao pedir perdão e ele saia quase cru, é verdadeiro.
E se eu disser que eu amo, acredite.
Aos Amigos,
E a Família que eu tanto amo. 






sexta-feira, 9 de março de 2012

Máquina De Escrever




                                                                   ...É o meu coraçã

Máquina De Escrever - Pedro Luis e a parede.