quarta-feira, 16 de março de 2011

Falta tanto tempo no dia..

Sobra tanto espaço no tempo.
Falta horas no clarão da noite em companhia, falta dias no feriado e falta mais tempo para ficar com a família, tenho tempo de sobra no trabalho, mas me falta para ir a sorveteria, sobra tempo frente a uma tela sem som e um teclado sem vida. Tempo para me divertir não falta, mas tem dia que o sono é larápio e o rouba o que seria... Faltam horas e dias no meu calendário mas me sobra, mesmo em correria alegria e vida para compartilhar com quem esteja afim. Falta horas no meu dia, só, em minha companhia, me sobra minutos numa letra de música vazia. Falta tempo"preu" visitar um amigo, sobra minutos e credito para lhe mandar um SMS de bom dia, tempo demais para me olhar no espelho e ver que não sou quem fui mas cadê o tempo para cuidar de mim e do meu amor? Falta tempo para fazer as unhas e incrivelmente me sobra para não fazer nada... Arrumo tempo no tempo para uma conversa extrovertida, para aliviar outrem da permuta da dor, e tempo inteiro para estampar o sorriso na cara e emanar sentimento, enquanto eu me guardo e resguardo em minhas euforias, o tempo que mais me falta é um tempo que não existe, sem tempo para entrar no banho de roupa e brincar feito criança como outrora, não há tempo hoje de secar minhas costas, ou sentar na mesa da cozinha para pensar e escrever um poema, uma rima, um sentimento, uma agonia. Tenho tempo de sobra para acelerar as coisas como se tivesse sobre a moto, mas nenhum tempo recompensa a melhora que a lentidão por vezes me faz. Uma vida tranqüila? Com certeza é um sonho e a que quero, mas tranqüila para mim é estar o tempo todo em adrenalina, o que hoje me falta também. .
Sobra responsabilidade -demais- em minhas mãos, e estou a doar, de brincadeira. Eu tento lava-las a cada 5 minutos mas a água que cai sobre elas é pura de realidade. Bem-vinda ao mundo de verdades que eu já vivi e vivo por essa vida, enquanto ainda há tempo de mudanças... Cá estou com minha alegre e melhor companhia.







Mas lembre-se, o tempo passa célere sem tempo para pausas, como esse poema.

Um comentário:

C. Mantovani disse...

Natalia!! Que show de bola seu blog! Muito bom, adorei...estou lhe seguindo...e tenha certeza, sempre estarei aqui te acompanhando...
Pensamentos soltos em palavras muitas vezes são desabafos...muitas desencontros...mas sempre serão acrescentadores....saudáveis e tocantes para quem os lê!
Grande beijo no coração!