sábado, 23 de outubro de 2010

Da vida terrena para a espiritual


Então falemos sobre o desencarne, sobre a morte como as pessoas reconhecem. E o que necessariamente falar?
O coração sente aquela dor quase que incontrolável, quando a alma chora para dentro, quando as lágrimas que escorrem sobre a face divide a alma em dois quando a alma pede socorro, e você sem chão, sem asas, cai.. cai.. somente cai, quando dizer VIVA, nesse momento perde todo sentido, quando o pranto não serve como alivio, o pranto apenas simboliza a dor... Vidas escorrem na torneira do planeta, escassas por sempre vir com uma missão, sem saber seu nome lembrando apenas teu sorriso, sem saber sua morada senão dentro do meu coração, sem saber altura senão tamanho sentimento que não se mede em metros, sem saber... Sem saber apenas... Vida essa que se perdeu num poste, um simples feito, de massa, concreto e sem vida, que tirou uma vida. Eu sinto, e minhas mãos transpiram, eu sinto, sua alma não compreende ainda, eu sinto de fato sentirei frente a tua matéria. Eu sinto.  Não importa se tenha sido horas, não importaria se fossem segundos, o bem que aquele dia você me fez transcenderá toda a eternidade. Descanse em paz Billy e sinta o amor de uma forma especial que eu te dei naquele determinado momento.

Paz e amor ao teu espirito.




Nenhum comentário: