sábado, 13 de julho de 2013

Eis a pergunta:



Mas então o que realmente vale nessa vida? 

Não me levem a mal, mas eu tenho acreditado que o que realmente vale é o vazio. 

Uma vida cheia de agitação e agenda lotada, não substitui a paz de uma vida serena que carrega o lençol bagunçado, o óculos na cabeceira da cama e as folhas rabiscadas jogadas ao chão.
E eu ainda reclamei!

“Acho que ela afadigou de estar sempre "vazia"... Mas vazia ela nunca esteve, pois vivia sempre cheia de idéias, pensamentos, inquietudes e preocupações. Se havia vazio era completamente preenchido por dezenas de centenas de pessoas fúteis que faziam jus a uma postura imatura, egocêntrica e arrogante, e que ao invés de esvaziar, acabara por encher ainda mais o pequeno espaço vazio que era reservado para sua paz. 

Pobre garota, não se deu conta que ao invés de vazio ela sobrecarregava sua frágil carcaça” 

Se atenta, pois, tudo nessa vida precisa de um espaço. Imagina como seria se não houvesse o vazio nos vasos onde são colocadas as flores que trazem um pouco de alegria para sala de estar? E se não houvesse vazio no casulo, onde é que a lagarta repousaria para em seguida transformar-se em uma bela borboleta e dar um pouco mais de cor para a paisagem? Pra não falar desta página que a pouco estava em branco, e agora está sendo preenchida por um lapso de pensamento meu, por uma parte única de mim. 

É no vazio do silêncio que apreciamos desde o cantar das aves até as mais belas melodias criadas pelo Homem, neste mesmo momento vazio os olhares se esbarram e dizem coisas até sem dizer, e então a saudade chega de mansinho trateando o peito.
Até as flores nascem no infinito do campo vazio que somente são separadas pela linha da terra e do céu. 
Pense. 
A vida para ser bela precisa do vazio... Do vazio que por alguma razão tem que ser. 

E por que com você seria diferente?!

Precisamos de um pouco desse vazio aqui-ai dentro, para que assim, outras pessoas possam depositar em nós um pouquinho de si.


NZ - 07, 13. 

3 comentários:

AC disse...

Gosto do seu jeito de escrever, Natallia, há por aí muito talento e sensibilidade.
Parabéns!

Beijo :)

Michele Pupo disse...

Natállia

Guimarães Rosa dizia: " a vida é assim: esquenta, esfria... o que ela quer da gente é coragem".

(Que bom que voltou ao blog!)

Beijão

AC disse...

Voltei para ler novamente, e a impressão reforça-se: gosto mesmo do seu jeito de escrever!

Beijo :)