sábado, 4 de fevereiro de 2012

No circo dos horrores, o palhaço paga para entrar.

Atenção senhoras e senhores: vai começar o maior espetáculo da terra. O cheque de 500 mil foi exibido e as autoridades já aprovaram, pois é dos cofres públicos e ninguém vai perceber.
Estão chegando "heróis" de todas as partes do Brasil para enfrentar a fúria dos indomados irracionais. E o povo que guardou o salário o ano inteiro já confirmou a participação. São eles: o enfermo do hospital municipal, o pai com meia dúzia de herdeiros , que queriam tomar seu café da manhã decentemente, a funcionária da loja da esquina que come marmita todos os dias, a velhinha que ainda não recebeu a aposentadoria do mês passado, o estudante que mendingou na secretaria a mensalidade do seu curso e o carinha que financiou sua Saveiro em suaves prestações de R$ 600 reais. Mas tudo vale a pena, pois são duas semanas do carnaval rural e todo mundo quer comer poeira
O credor no início até gostou da idéia, seu estoque de couro se esgotou, mas depois ficou preocupado. Pode ser que seus clientes lhe tenha passado o cheque capim, aquele só o burro aceita.
O cowbói Zelão está prestes a cometer um suicídio, pois sua calça apertada o tornou estéril. O vereador Cidão comprou o maior chapéu da cidade para esconder o chifre. A socialite toma seu espumante Peterlongo no camarote e o colunista Val Lanches jura que é francês. Tô bege!
O locutor Léo Casco de Cavalo anuncia que o padre está atrasado. Na verdade ele está na fila comprando o famoso cachorro quente de meio metro de salsicha para o coroinha, pois havia prometido no último domingo depois da missa. A expectativa é grande, todos querem ver a santa e cantar o hino das seis da tarde. O ambulante nas arquibancadas vende os lenços descartáveis.
Prefiro não narrar o fato posterior a isso, pois é muito triste e ninguém quer saber. Afinal, todos querem ver o show do Pitãozinho e Xeraumpó. Muitos sucessos são cantandos em uníssono. O carro-chefe é Fio de Pentelho.
Na fila do banheiro, o flerte, a pegação era intensa. Jura e promessas de amor  feitas sem repúdio. A essas alturas, ninguém era de ninguém.
Balanço final: Congestionamento de 100 km, acidentes a cada 10 minutos, garrafas e latas jogadas na Rodovia. A inadimplência no comércio triplica no mês seguinte e o mais curioso: no mês de março do ano seguinte no hospital da cidade, o número de bebês nascidos bate recorde. Na justiça, várias moças de família correm atrás da pensão.
Passado duas semanas, exatamente após o término do evento, o empresário "Little"Robert House já anuncia as atrações do circo dos horrores do ano que vem. Os palhaços ficam entusiasmados, prontos para protagozinarem mais um espetáculo e ver o cabaré pegar fogo.


Créditos ao inteligentíssimo, Bruno Scaramal
Parabéns pelo texto!

Um comentário:

Bruno disse...

Fico feliz por ele estar agora guardado num excelente lugar. Parabéns pelo blog e nunca desista de expôr seus sentimentos de uma maneira ímpar. Abraços.