sábado, 19 de fevereiro de 2011

Pagina 1

Só há uma coisa no qual me importo muito, essa mesma coisa é a causa da minha existência. Só há uma coisa que eu odeie muito, e essa coisa faz parte da minha existência.
Coloco uma meia e um tênis, outra meia e outro tênis, odeio café, mas tomo-o com leite pela manhã. Não sei até hoje qual é a cor da minha pele e pouco me importo, minha  pele é sensível ao sol, algumas coisas que deveriam ser olvidas não esqueci, mas... Algumas pessoas que não deveriam ser já nem me recordo. Outras não. Paixões, amores, descasos e casos sim, já vivi. Eu vivo, eu sinto, eu vejo, eu ouço, eu toco, eu danço, me movimento, quase não perco tempo chorando e você?
Minhas escolhas são simplesmente elegidas entre SIM e NÃO, É ou NÃO É, não há meio termo. Minhas palavras são mesmo confusas e indistintas, acintosamente quando preciso suprir a vontade de falar e não quero que compreendam o que digo, gosto exageradamente de ver pessoas sem me entenderem e com uma interrogação excedendo os traços de sua face, adoro o gelo quando me perguntam sobre o que estou falando, adoro também banho frio e me olhar no espelho enquanto me banho, mas nesse ponto distraíam-se isso não significa nada.
Eu não tenho laços familiares, mas isso não faz com que eu os ame menos, OK.
Meus amigos realmente são peças fundamentais no quebra cabeça da minha vida, e são cada um em seu tempo essenciais e eternos, mas como disse cada um em seu espaço de tempo, tempo esse que se perde com o tempo. Isso vocês entenderão.
Em minha pele há marcas, cicatrizes e muito aprendizado, tenho alergia à picadas de formiga, sensibilidade ao sol e assombro extremo de barata.
Meu rosto é harmonioso -ouvi isso várias vezes- mas percebo carquilhas na face, efeito de tanto sorrir. Tenho muitos anos de espírito, mas somente 21 de matéria e a soma de tudo... Não sei, não sei de muita coisa que eu sei que existe.  Eu sei de muita coisa a meu respeito.
Tenho dezenas de segredos para comigo, e ninguém descobrirá quais são.  Ando tão normal quanto o estranho, ando mais estranha que o normal. Não quero que me compreenda, apenas leia. Meu celular se enfastia de mim com certeza, e eu não me canso de sonhar.
Algumas alegrias não me deixam tão feliz, e eu não tenho culpa ,o que tenho é.. Segredo meu. Meu pai me irrita com a maior freqüência do mundo, nesse momento percebo que amo aquele homem mais que o mundo. Sim eu também me aborreço, e algumas pessoas  esquecem que tenho esse sentir, quando estou furiosa faço jus a palavra e lamento por aqueles que provaram, provam e provarão dessa fúria, não faço tempestade em copo d’água, o copo d’água nem poderia causar uma. O resumo disso tudo é vida para comigo, ideais, existência e vida aos demais.




Um comentário:

Preta *-P disse...

"Algumas alegrias não me deixam tão feliz..."
É isso que faz de vc tão especial. Peculiar.

Saudades dessa sua cabeça cheia de idéias intocáveis.

Beijos viida

Sá Giusti =)