terça-feira, 7 de dezembro de 2010

O cheiro e o dezembro

É engraçada a forma com que minhas lembranças afloram, não é preciso VER, basta sentir um odor agradável para...
''Seja bem vindo Dezembro! Tão querido dezembro, mês que desperta as mais maravilhosas recordações da minha vida, BEM VINDO meu querido Dezembro. Em meio as diversas recordações estão lá as da infância e da adolescência esperando pelo cheiro do mês. Ele anunciava as alegrias que compunham minha vida, férias escolares, noitadas com amigos, viagens, sumiços, festas, festas...festas. O Dezembro é esperado por mim, não pelo fato de ter nascido nesse mês, mas, por tudo o que eu vivi e vivo nele. Os dezembros da minha vida tem cheiro, um cheiro delicioso. Eu, sinestesicamente, sinto a aproximação do mês, o céu fica lindo, o cheiro aquele cheiro de.... Os lugares mais bonitos, as luzes, as luzes mesmo -eu- não fazendo parte do clima natalino me encantam, me encantam mesmo. As noites ficam cheirosas... Nasci talvez em corpo errado porque apesar de tudo de maravilhoso que o dezembro me trás ao invés de carrinhos de controle remoto recebia sempre BONECAS, essa foi sempre a parte desiludida das lembranças de hoje. Dezembro meu querido dezembro de cheiro e cor.
Sou feliz na tua companhia.''


Bem,os odores realmente são fatores memoráveis e denotam suavemente as lembranças, basta percebermos um aroma e logo alguma lembrança nos ocorre. Eu particularmente classifico o olfato o sentido mais importante - claro que não é justo denominar em grau de importância, afinal todos são essenciais mas-. Ele é, como ouvi uma vez  um sentido mudo, que não contém palavras, não necessita de tato, tão menos de luz, nem se quer de onda sonora. Independente de qualquer coisa o olfato está sempre em uso, sempre que respiramos e enquanto estivermos vivos. Se usarmos protetores auriculares e/ou taparmos os ouvidos não ouviremos, se vendarmos os olhos, apagarmos a luz ou simplesmente fechá-los deixaremos de ver, mas se taparmos o nariz para evitar sentir mais odores morreremos  “Quem dominasse os odores dominaria o coração das pessoas” Patrick Suskind.  O olfato e a alma estão unidos vigorosamente as lembranças e as emoções, aguiolhando sem intermédio o nosso bem estar e nosso caráter pessoal e original pe -PENSE-. O olfato tem ligação com nosso subconsciente isso é evidente, translúcido os odores compõem um alfabeto e linguagem circunstanciada que têm o poder de provocar reações específicas no corpo e no psicológico atingindo assim os recantos da alma, os odores estão 24horas por dia presentes a nossa volta, vivemos num oceano de odores. Cada um de nós possui memórias aromáticas secretas despertadas quando menos esperamos, sentimos com o nariz, pensamos com o cérebro e a emoção é alma... 

Nenhum comentário: