sábado, 2 de novembro de 2013

Coração, sim-ples!

Eu quero mesmo que você fique. Não quero que você precise de mim, mas imagina só, seria tão legal se continuássemos caminhando juntas. 
Queria continuar te vendo sorrindo ao ouvir a minha risada engraçada. Queria que você tivesse calado a minha boca com um beijo quando eu estava te pedindo com meu coração para não ir embora, ou beijasse-me quando a raiva tomara conta de ti. 
Queria não tê-la permitido entrar no carro, pois eu sabia que, se assim o fosse algo daria errado. E deu.
Eu queria muito ter te impedido de ir, mas sabe, eu simplesmente não pude, foi você quem me ensinou a deixar o que amamos livres, e é por isso que estou a escrever, estou deixando meu amor voar livre por essas linhas, e não ficarei entre você e o céu caso queira também voar.
Nós ainda não nos despedimos, não completamente, mas você já me disse um até..
Você esperou por mais tempo do que eu, e, se tudo não sair como planejávamos, talvez eu espere por dezenas de anos..
Queria que as tuas palavras tivessem sido postas para fora, cruas e sem medo, já que o único som que pairava enquanto te fintava era o som das minhas palavras que encontravam espaço entre o pranto encalacrado na garganta. Eu
 sei, somos bem diferentes.
Queria que, talvez, você pensasse um pouco antes de deixar tudo se perder assim, no tempo.
Eu quero tê-la aqui com toda certeza, quero com toda a minha força e fé, e enfrentaria um exército inteiro só com o meu coração em mãos para manter-te ao meu lado, mas não pela metade e sem expectativas, eu te quero inteira. De volta.
Pudera mudar o que nos aconteceu, pudera dar rumo diferente, mas assim como sempre lhe disse, sou
 um acumulado de uma imensa bagunça. E eu errei.
Sabe, eu só queria continuar segurando firme sua mão como costumo segurar, e continuar montando o nosso quebra-cabeça tão complicado e tão uno.

Mas agora, com todo o meu amor, eu só quero que você tenha força, olhe para nossa história, sobreponha os bons momentos e não seja aquela que ao final de uma noite, diz adeus e vai embora.

7 comentários:

José Carlos Sant Anna disse...

E se faz a falta a mão que aquece, é correr atrás dela e liberar as palavras que sufocam. É isso.
Obrigado pelo meu blog.

beijo, Natallia.

Laura Santos disse...

Não deve ficar nada por dizer, mas também existem pessoas que não conseguem articular uma palavra. Eu acho que quem quer ir vai, com ou sem palavras ditas ou não ditas. Por mais que doa, o amor só se realiza em liberdade, o amor não precisa de justificação para ir ou ficar, os compromissos e contratos, sim.
O amor não precisa de muitas regras ou hora marcada para apresentar-se ou desaparecer, porque senão seria uma paragem de autocarro e não amor.
É por isto e muito mais que o amor, que deveria ser simples, é por vezes complicado.
Já tinha saudades tuas , Natallia!...:-)
xx

AC disse...

Natallia,
O simples, às vezes, fica tão distante! No fundo, e por mais voltas que demos, a simplicidade é profunda e dolorosa conquista. Mas inevitável, se quisermos ascender a um novo patamar.

Beijo :)

Lilá(s) disse...

Por aqui, pensa-se e logo se escreve! e muito bem!
Bjs

Anônimo disse...

Até os erros tem motivos para serem cometidos. Não seja incrédula. Abra os olhos e vá atrás do que você quer

Lilá(s) disse...


♬♪ ⋱ ⋮ ⋰
♬♪ ⋯ ✰ ⋯
♬♪ ⋰ ⋮ ⋱

Passando para desejar um Feliz Natal.
Um 2014,com muita Saúde, Esperança, Alegria e Paz.
Bjs

Maria Carolina S, disse...

Amor escorrendo das letras... reúna em vidro para que não fuja

Adorei o texto!

beijo