quarta-feira, 8 de junho de 2011

Voltei

 Com as mesmas malas que parti, porém mais leve. 
 Não deixei nada de minha bagagem para trás, do contrario voltei com uma mala a mais que por ensejo me fez calçar rodas, agora estou a puxar com duas mãos, as vezes com 4, 6, 10 mãos. Isso significa que não estou sozinha, mesmo querendo nunca estive. 
 Em diversos  pontos no tempo da minha vida enfoquei-me  nos problemas (digo problemas reais não criação de minha mente) que acabei esquecendo que meus entes, amigos e afins estavam e queriam estar próximos a mim, sou desvairada eu sei. A verdade é que não suporto a ideia de ter que dividir meus problemas com outrem, o que de fato só piora a situação, uma vez que me sobrecarrego e acabo despejando para fora de mim de forma grosseira. Bem, não estou aqui para explicações – ou talvez esteja - só quero agradecer a todos os que estiveram e estão comigo demonstrando afago, nobreza do amor e se doando para que eu derrame minhas lágrimas em teus ombros.
E quem diria que eu chorava, hein!?
Hoje não é difícil me ver chorar, encontrei conforto nas gotas salgadas que derramo, choro por alegria, por tristeza, por problema, por solução, por carinho, por medo, por confiança. Brincadeira, não derramo tanta lagrima assim, mas choro. Disseram-me que chorar diminui o peso da alma, então compreendi que por trás das lagrimas existem sentimentos soberbos. 
Deixo claro também que não abandonei nenhum sentimento, que não conservo mágoa nem rancor, que escumo de raiva mas é momentâneo  e que jamais sob hipótese alguma desejaria o mal para outrem. Não direi que me sinto injustiçada pois todos nós temos o que merecemos, mas agradeço por tudo verdadeiramente com os recantos do meu coração. Agradeço pela universalidade de coisas  que
me é proporcionado, sejam os momentos de euforia que me fazem rir e inteiramente feliz, ou os de aflição que me encantoam e que declaro os mais importantes por me fazerem crescer e ver quão forte sou.
 
Aos que estão nesse momento em dúvida, tristes e confusos, aos que estão priorizando “coisas” erradas em suas vidas, aos que estão sofrendo por opção deixo a mensagem de que "BUSCAR um sorriso mesmo que em coisas singelas MELHORA O DIA", não se trancar em um cômodo obscuro com suas aflições e dividi-las o fará melhor, chorar é um remédio natural  tão quanto sorrir, e não se esqueçam do mais importante: DEUS nunca nos abandona, ele nunca nos levará aonde ele não irá nos proteger, e em qualquer lugar que estejamos terá anjos sem asas a cuidar de nós. 

Agradeço ainda a TODOS que estão sempre comigo, afagos, muitos afagos a todos vocês.


Há males que vem para o bem.

2 comentários:

Michele P. disse...

Natallia

Você conseguiu descrever com perfeição não só a sua angústia, mas a aflição de quase todo mundo.
Somos assim, seres sensíveis, com sentimentos, com dores e deficiências.
Nos construímos diariamente, errando, chorando e lutando.

Lindo texto!

Um abraço

Fred Caju disse...

Considere-se afagada também!